Dia das diferentes mulheres

Seria clichê dizer que todos os dias também são nossos, assim como o direito por condições iguais entre gêneros seria óbvio, mas ainda hoje a consciência desperta.

A superioridade velada em piadinhas e atitudes tidas como inofensivas, tem raiz em uma história que de contada tantas vezes, se tornou normal e inconsciente. E diante disso, a exigência por uma resignificação de valores, para muitos, se tornou chata.

Porque hoje, a data que oficialmente é reconhecida como dia da mulher tem resgatado seu sentido, dispensando apelos comerciais que distrai com anúncios de tratamentos de beleza com desconto para falar sobre conquistas, direitos e momentos marcados por luta e reações corajosas.

É verdade que diante de um movimento relativamente novo, avançamos, mas existe um longo e árduo caminho pela frente, que é menos meu que de muitas outras mulheres, pois poucas vezes me senti diretamente vítima do machismo, e compreendo: minha vivência não é “unidade de medida” quando me encontro em uma posição privilegiada.

infinito

Por isso, aproveito nosso dia infinito para compartilhar um video que trata sobre o feminismo de uma forma leve e muito esclarecedora sobre suas vertentes, onde Nátaly e Julia conversam sobre o respeito ao sofrimento particular quando características físicas e condições socioeconômicas colocam na bagagem de cada uma diferentes experiências. Ainda que mulher, em concordância com o feminismo e usando ao máximo o poder da empatia, é preciso estar na pele para defender com propriedade algumas questões.

Vale a pena separar alguns minutinhos para assistir, um video de utilidade pública!

3 comentários sobre “Dia das diferentes mulheres

  1. Quase chorei de orgulho pelo seu texto! Sinta-se abraçada! Bem vinda! Sigamos juntas conquistando nosso espaço e lutando para que as que estão em maior desvantagem tenham seu espaço de fala respeitado também! Empatia e sororidade sempre!

  2. Amandinha! Eu gostei muito do vídeo…só discordei de uma ou outra coisa. Eu acho que as mulheres negras sofreram muito sim, e tem seu espaço de luta ainda mais dolorosa ao longo da nossa história enquanto civilização. Mas o que vejo é que o homem (ser humano) só tem buscado isso nesse trajeto: promover diferenças. Somos todos HUMANOS, será que é tão difícil de entender isso?

    Eu discordo INTENSAMENTE do comentário sobre a ofensa quando alguém chama outra mulher de “branquela” ou “branquela azeda”. Para elas, no vídeo, isso é motivo de graça e não de preconceito. O problema é que as palavras quando atiradas com muita força, ofendem. E ofendem seja a um branco ou a um negro. Eu jamais chamei um negro de macaco, mas Darwin fez isso explicando que somos provenientes de um ancestral comum (o macaco) mas não atirou as palavras de forma a ofender.

    Fico ofendida sim, se alguém me trata de forma preconceituosa, seja lá qual for o adjetivo que use. Sei que posso não compreender a luta da mulher negra, pois só quem sabe é quem sofre na pele. Mas não aceito esse tipo de posicionamento mesquinho e auto-prioritário.

    No mais, vou procurar a moça para segui-la, acho que ela tem muito a ensinar.
    :**

  3. Bá, eu compreendo totalmente seu ponto de vista, inclusive sobre sermos todos seres humanos, mas a sociedade tem diferentes conceitos diante das diferenças e por isso elas precisam reservar suas particularidades. Não existe a divisão de pessoas por parte desse discurso, mas uma subdivisão de movimento em prol de uma causa ainda mais específica.

    Quanto à ofensa através de apelidos como esses, é sim uma ofensa… ninguém deve tratar o outro com falta de respeito. Mas é que ofender alguém citando algo que na verdade o mantém em condição privilegiada diante da sociedade (ser branco), em comparação com ofender citando algo que de fato é inferiorizado (ser negro), perde um pouco da sua importância, sabe?

    Mas olha, entendo perfeitamente a sua forma de pensar e acho lindo esses pensamentos, porque independente de causas e lutas, fala sobre amor e demonstra quanto desse sentimento existe dentro de você. Você acompanha o blog há tantos anos, e através dos seus comentários, consequentemente acompanho você também e sinto imensa admiração.

Deixe um recadinho

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s